Ministro Queiroga: imbecil, incompetente ou criminoso?

O Ministro da Saúde Marcelo Queiroga baixas as calças para a imprensa e volta atrás na vacinação de adolescentes.

Uma semana após soltar uma Nota Técnica PROIBINDO a vacinação de adolescentes, o Ministro Queiroga revoga esta decisão e divulga no Twitter:

O Ministro não diz quais são os estudos, pesquisas e discussões técnicas, nas quais o Ministério da Saúde se baseou, estudou, avaliou e decidiu em uma semana.

Queiroga chegou a fazer uma coletiva de imprensa em que é taxativo ao recomendar que pais e mães não vacinassem seus filhos adolescentes.

ATENÇÃO


O propósito deste meu artigo NÃO É O DE DESESTIMULAR AS PESSOAS A SE VACINAREM.

Passo aqui relatos reais de pessoas reais. Adultos têm a liberdade e devem avaliar os riscos / benefícios da vacinação para si e para seus filhos.

Outrossim, sou absolutamente CONTRA a imposição de passaportes sanitários, que na prática, se transfiguram em OBRIGATORIEDADE DE VACINAÇÃO, que afronta diretamente nossos direitos legais e constitucionais.


Mortes de jovens após a vacinação

Os relatos de mortes de jovens e adolescentes após a vacinação começam a aparecer profusamente. Todos eles relacionados com infarto ou AVC, eventos incomuns – mas possíveis, claro – nesta faixa etária em pessoas sem doenças pré-existentes

Neste artigo, descrevo dois casos e agora aparecem mais alguns, que divido com vocês.

Rillary Emily Araújo Costa, 20 anos, infarto, falecida

Imagem
Imagem

Camille Vitória Vasconcelos, 16 anos, infarto, falecida.

Imagem

Murilo Arena, 27 anos, infarto, falecido.

Imagem

Mariana Gudrun, 20 anos, Miocardite, sobrevivente.

Nesta quinta-feira (23), a jovem Mariana Gudrun, de 20 anos, postou em seu perfil do Instagram um vídeo com seu depoimento pessoal sobre uma Miocardite adquirida em decorrência da vacinação, de acordo com os próprios médicos.

Instagram: @marianagudrun_

De acordo com o CDC (Centers for Diseases Control and Prevention) dos EUA:

“Miocardite é a inflamação do músculo do coração (…) causada pelo próprio sistema imunológico de uma pessoa, em resposta a uma infecção ou algum outro “gatilho”

Fonte: Myocarditis and Pericarditis After mRNA COVID-19 Vaccination | CDC

A doença pode evoluir para uma cardiomiopatia, condição que requer total mudança de estilo de vida, restrições ou até cirurgia. Também pode evoluir para uma insuficiência cardíaca. (Fonte – NHS – Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido).

Queiroga e o Ministério da Saúde

O Ministro Queiroga foi diagnosticado com COVID durante a viagem da comitiva presidencial para a 76ª Assembleia Geral da ONU.

Queiroga estava vacinado, sempre utilizava máscaras em suas aparições públicas e é o responsável pelo Plano Nacional de Imunização do Governo Federal.

O Governo Federal e o Ministério da Saúde esconderam-se atrás da decisão de Alexandre de Moraes, que deu plenos poderes a estados e municípios, para implantarem as políticas de enfrentamento da pandemia desde 2020.

Não se impuseram como AUTORIDADES COMPETENTES que são e, eximirem-se desta responsabilidade culpando outrem, é uma gravíssima omissão e descaso com a saúde pública.

Queiroga: “Riscos / Benefícios”

A imprensa e o próprio Ministério da Saúde são insistentes em dizer que “os benefícios da vacinação superam os riscos da doença”.

Em verdade, os potenciais benefícios das vacinas certamente superam os riscos da doença, porém os RISCOS DAS PRÓPRIAS VACINAS não é conhecido.

Todas as vacinas estão liberadas pela ANVISA em caráter “emergencial e de caráter experimental“.

Fonte: relatorio-bases-tecnicas-para-decisao-do-uso-emergencial-final-4-1.pdf (www.gov.br)

As fabricantes das vacinas comprometeram-se a enviar relatórios finais de eficácia e segurança a partir de 2022, apenas. Desta forma, não há um entendimento definitivo das próprias fabricantes sobre os riscos reais da vacinação, que grupos são mais suscetíveis, qual a incidência de efeitos adversos leves, graves e óbitos relacionados com reações à vacina.

Analisando números oficiais de hoje (24), chegamos aos seguintes resultados sobre a COVID-19

  • A cada 1.000 pessoas que morreram com ou de COVID-19, 36.000 pessoas foram curadas.
  • O número total de casos no Brasil (21,3 milhões) corresponde à 10% da população brasileira. Este número deve ser um pouco menor pois há muitas pessoas que foram acometidas da doença mais de uma vez.
  • Para cada 1.000 mortes, portanto, há 320.000 pessoas que sequer adoeceram (e agora estão sendo forçadas a se vacinarem).
  • O total de pessoas que morreram com ou de COVID-19 no Brasil correspondem a 0,28% da população.

Ainda sobre risco / benefício:

Qual era o risco de morte de Rillary, Camille e Murilo, caso pegassem COVID? Sabemos apenas que morreram APÓS a vacinação, embora não esteja claro se as mortes foram ou não RESULTADOS dela.

Que riscos Mariana corria se pegasse COVID? Sabemos apenas que teve uma reação adversa grave à vacina.

Pergunta aos Pais e Mães

Vocês estão preparados para encarar a morte de seus filhos após serem vacinados, mesmo que não fique clara a relação de causa-efeito e mesmo que as estatísticas digam que eles “muito provavelmente” ficarão bem?

César Cremonesi

Porphirio.com - Artigos da Direita Brasileira
Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre o Autor

César Cremonesi é engenheiro, empreendedor, consultor de negócios e aluno de Olavo de Carvalho. Fundador da Porphirio, cujo propósito é o de levar conscientização política para a sociedade, com pensamento de direita, que trata os conceitos a partir de sua relação com a estrutura da realidade. Conservador, apoiador de Bolsonaro e dos Valores Permanentes do brasileiro.